Brasil: As instituições públicas promovendo o crime organizado!

Imagem Gazeta digital
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Eu acompanho a série House of Cards (produzida pela Netflix) já algum tempo e esta última temporada Frank Underwood (personagem da série vivido pelo brilhante Kevin Spacey) está impossível. Nesta temporada ele se reuniu com empresários e políticos globalistas num clube de cavalheiros campestre chamado Alysio. O lugar parece uma espécie de Bohemian Club, um clube de cavalheiros ( empresários e políticos globalistas) proeminentes privado em São Francisco – Califórnia – Estados Unidos, onde se faz uma simulação de sacrifício humano oferecido ao deus Moloch. A cena é icônica, pois lá o personagem polêmico chega a conclusão que o verdadeiro poder não está na cadeira de presidente dos Estados Unidos, mas controlar quem financia e governa ocultamente a cadeira, ‘’o verdadeiro poder político’’. Então ele começa a sabotar intencionalmente sua presidência para buscar esse poder. Frank Underwood diz: O “Poder é muito parecido com o mercado imobiliário. Tudo se resume a localização, localização, localização. Quanto mais próximo estiver da fonte, mais valiosa é sua propriedade”. Claro, a personagem da série é um psicopata!

Mas como definir um psicopata?

Assine o Blesss

Descrita pela primeira vez em 1941 pelo psiquiatra americano Hervey M. Cleckley, do Medical College da Geórgia, a psicopatia consiste num conjunto de comportamentos e traços de personalidade específicos. Encantadoras à primeira vista, essas pessoas geralmente causam boa impressão e são tidas como “normais” pelos que as conhecem superficialmente.No entanto, costumam ser egocêntricas, desonestas e indignas de confiança. Com freqüência adotam comportamentos irresponsáveis sem razão aparente, exceto pelo fato de se divertirem com o sofrimento alheio. Os psicopatas não sentem culpa.
Os psicopatas são egocêntricos e megalomaníacos e, por isso, nunca acham que estão errados, colocando a culpa de todas as coisas nas costas dos outros.

Como também não sentem medo, essas pessoas não têm receio das punições que suas ações possam acarretar. E é nesta parte que volta a entrar a manipulação, pois os psicopatas são capazes de armar grandes espetáculos para mostrar como estão arrependidos de seus erros, chegando até mesmo a comover algumas pessoas desavisadas.

A questão é: o psicopata nunca vai reconhecer que está errado e, consequentemente, não irá sentir remorso de qualquer coisa que tenha feito, pois esta é a sua natureza.

Políticos roubam, mentem e não se sentem culpados!

A médica psiquiátrica Ana Batriz Silva, fala em seu livro ”Mentes Perigosas”, que a grande maioria dos políticos apresentam sintomas de psicopatia, ela diz:”As inúmeras manchetes revelam os crimes destes políticos psicopatas: lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, gestão fraudulenta, evasão de divisas, crime de peculato, desvio de recursos de obras públicas, envio ilegal de dinheiro ao exterior, crime contra administração pública”.

A infoescola define assim a Cleptocracia: ‘’É um termo que designa um Estado governado por ladrões. Desde Heródoto, na Grécia Antiga, que o homem sonha com um governo perfeitamente democrático. Ou seja, um Estado, um território ou uma nação com um governo tão eficiente e honesto que chega a ser uma utopia’’. Claro que jamais será uma realidade. E tem mais, a utópica democracia grega nem de perto chegou a ser eficiente e honesta. A Democracia na realidade nunca existiu. O conceito grego de democracia na realidade privilegiava mais os poderosos do que o povo em si. Havia escravos e as mulheres não eram participativas. No Brasil, nossa adolescente democracia tem todos os elementos do conceito grego. A democracia brasileira é na realidade exatamente isso. O voto é obrigatório e não há livre concorrência em relação às estatais. A empresa estatal Correios é um bom exemplo disso. Você é obrigado a usar o serviço que o governo determina, diga-se de passagem, um péssimo serviço. Ainda existem os amigos do governo, empresas que se tornaram parcialmente privadas ou totalmente privadas que tem o apoio do sistema governamental para não ter concorrentes. Isso nem longe é uma livre concorrência.

Desde que foi instalada a democracia, o Brasil sangra com seus presidenciáveis. A dolorosa morte de Tancredo Neves; a super inflação e coronelismo de José Sarney; a trancada das contas bancárias e o escândalo da Elba que derrubou Fernando Collor; o alívio e a estabilidade da moeda (plano Real) no Governo Itamar Franco; o período de crescimento econômico e a criação das bolsas sociais, privatizações e crises mundiais na era Fernando Henrique Cardoso. FHC iniciou também o projeto ideológico de divisão de classes e seguiu arrisca à agenda das fundações fabianistas que visam destruir as soberanias das nações; foi FHC quem recebeu o novo presidente Luiz Inácio Lula da Silva com tapete vermelho. Enfim, os treze anos de governo socialista do Partido dos Trabalhadores, período das políticas populistas e das ampliações das bolsas. Além de uma herança que causou um resultado final de quatorze milhões de desempregados e uma recessão agressiva que custou centenas de bilhões ao país, o Brasil por pouco não se tornou a Venezuela. A Venezuela hoje tem crise até de papel higiênico. Mas vejam só o tal ‘’governo dos pobres’’ deu muito pouco aos pobres em relação aos ‘’amiguinhos’’ empresários. Sabe-se que somente os aliados estrangeiros o governo de Dilma emprestou 33 bilhões para cinco aliados de esquerda. Uma semana antes de Michel Temer assumir a presidência, os benefícios concedidos ao setor empresarial chegaram a valores estratosféricos. O conjunto de benesses dadas pelo governo Lula-Dilma a diversos setores da economia, uma espécie de ‘bolsa empresário’, no jargão de alguns especialistas, foi pesado para economia e ela entrou em colapso. Cerca de R$ 270 bilhões aos cofres do governo federal. Parte destes valores são destacados os 13,5 bilhões de reais levados por Eike Batista e Marfrig e 8 bilhões para o grupo JBS. Para compreensão melhor, representa mais de dez vezes o valor destinado à Bolsa Família, cujo orçamento anual estava orçado em R$ 28 bilhões. E olha que Dilma ainda tirou 10 bilhões da Bolsa Família.

O governo dos pobres?

Governo dos pobres ou dos empresários? Não dos pobres! Além disso, os Bancos brasileiros bateram recordes de lucros. Nunca um governo que se diz defensor das minorias e dos trabalhadores beneficiou tanto os banqueiros ‘’capitalistas opressores’’. No entanto, na gestão da ex- presidente terminou seu primeiro mandato vencendo Lula e Fernando Henrique Cardoso. Nunca bancos lucraram tanto. Um levantamento do jornal Correio Braziliense mostra que nos três anos de mandato da petista, o sistema bancário nacional lucrou R$ 115,75 bilhões. Nos oito anos de FHC foram R$ 63,63 bilhões, em valor atualizado. No governo Lula os valores chegaram a R$ 254,76 bilhões, mas também em dois mandatos. Os empresários e banqueiros foram mais beneficiados do que as minorias, os pobres e a classe trabalhadora.

Claro, que os empresários geram empregos e movimentam a economia, mas observe, seria justo se o governo diminuísse os impostos e assim criaria um efeito dominó que beneficiaria os desempregados. Não é dando mais dinheiro a eles, mas estimulando o setor privado com menos impostos e burocracias. O PT fez tudo errado nesta questão, optou por fazer relações entre o Estado e o privado para um estabelecimento de poder que iria durar décadas levando o país para um abismo maior do que estamos presenciando com perplexidade no presente. Mas nessas parcerias entre os empresários‘’amigos’’ do governo e as empresas estatais, o povo testemunhou com perplexidade o estabelecimento progressivo do Estado Cleptocrático de Direito. Onde empresas privadas lavam dinheiro das estatais para financiar campanhas políticas, comprar deputados, investir em projetos de leis para beneficiar suas empresas; corromper instituições e fazer girar a roda do poder em torno desta falsa democracia. É na realidade uma ditadura estabelecida pelo Estado agigantado, e, parte do setor privado. A finalidade é a perpetuação do sistema cleptocrático! Hitler fez algo parecido. O Partido Nacional Socialista convenceu tanto empresários conservadores como empresários esquerdistas a filiação ao nazismo. Eles lucrariam e muito com as guerras e teriam todas as facilidades do Estado para instalar suas empresas onde o nazismo governasse. É a essência desta parceria entre o setor privado e o Estado. O Estado escravizando e roubando seu povo através de mais impostos – ou reformas que justificam o ‘’sair da crise’’. Mas na realidade o Estado está cada vez mais se agigantando e seus amigos cada vez mais fartos, abastecidos com o banquete da ganância e luxúria. Enquanto isso, o povo padece nas filas dos hospitais, na falta de políticas de segurança pública, péssima educação e desemprego em crescimento. São 14 milhões de desempregados em 2017.

E a divida interna?

Depois de bater recorde em 2015, a Dívida Pública Federal (DPF) ultrapassará a marca de R$ 3 trilhões neste ano. Segundo o Plano Anual de Financiamento (PAF) da dívida pública, divulgado há pouco pelo Tesouro Nacional, o endividamento poderá encerrar este ano de 2017entre R$ 3,1 trilhões e R$ 3,3 trilhões.

E a externa?

Em janeiro de 2016 os números chegaram às cifras de US$ 332, 106 bilhões. A previsão para 2017 é a pior possível. Muita gente enganada ainda hoje acha que o governo do PT pagou a divida externa.

Na democracia brasileira, o que todos esses governos têm em comum?

A corrupção como instituição! Seja em qual período a corrupção se instalou, ela só começou ser agressiva a partir da democracia. Não estou aqui fazendo apologia ao regime militar. Nem de longe gostaria o retorno do passado. Mas é fato que a corrupção no Brasil perdeu seus freios na democracia com todo apoio da imprensa brasileira. Observe o depoimento de Emílio Odebrecht à operação Lava Jato:

O grupo JBS

Ficamos em estado de perplexidade com os áudios e as delações do grupo JBS que revelou as entranhas do desta pareceria entre Estado e o setor privado. Bilhões desviados para manutenção da OCRIM. Bilhões que deveriam ser investidos no progresso do país, na segurança, saúde e educação do nosso povo. Desviados para privilegiar centenas de políticos que sustentam o sistema cleptocrático. A tragédia maior disso tudo é que muitos ainda defendem estes corruptos e preferem viver com cabrestos, na cegueira de suas crenças e nos ‘’messias’’ da política. E vimos com tristeza à nação sangrar com a conivência e leniência do Supremo Tribunal Federal. As instituições públicas do país corrompidas, depredadas em pró da sobrevivência dos ratos.
Semana passada os brasileiros ficaram perplexos com a delação e os áudios vazados dos irmãos Batistas, donos da empresa JBS. A empresa funcionava como lavanderia do dinheiro público e servia para comprar políticos. Não se sabe ainda a extensão do prejuízo, mas o BNDES concedeu ao grupo oito bilhões e estima-se que a empresa teve lucro de quarenta bilhões. Não há descrever a sangria da nação. Tudo isso envolvendo políticos de todos os partidos. Claro que os protagonistas são as estrelas da política: Lula e Dilma, Aécio e Temer. Os mais beneficiados com todo esquema do grupo JBS.

Sobre Lula e Dilma: US$ 150 milhões.

O empresário Joesley Batista, do Grupo JBS, revelou o fluxo de duas “contas-correntes” de propina no exterior, os beneficiários seriam os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. O empresário informou à Procuradoria-Geral da República que o saldo das duas contas bateu em US$ 150 milhões em 2014. Seriam US$ 70 milhões para a campanha de Lula em 2010 e US$ 80 milhões para a corrida eleitoral de Dilma em 2014. Joesley disse que em outubro de 2014, no Instituto Lula, encontrou-se com Lula e relatou ao petista que as doações oficiais da JBS já tinham ultrapassado R$ 300 milhões. Ele teria indagado o presidente quanto ao risco de exposição que os vultosos recursos atraíam já que não haveria plataforma ideológica para tamanho montante. Lula teria olhado nos olhos do empresário sem falar nada. Ao negociar e efetuar os pagamentos dos pedidos dos petistas, Joesley certificou-se de que tanto Lula quanto Dilma deveriam ter conhecimento da movimentação financeira nas contas do partido. Em troca dos pagamentos, o Grupo JBS recebeu créditos do BNDES e de fundos de pensão.

Aécio: R$ 80 milhões em caixa 2

Em delação premiada ao Ministério Público, o empresário dono do Grupo JBS, Joesley Batista, e o diretor de Relações Institucionais da gigante do setor alimentício, Ricardo Saud, o senador afastado teria recebido cerca de R$ 80 milhões em propinas. Joesley contou aos procuradores que teria pagado cerca de R$ 60 milhões ao tucano, mas Saud, braço direito de Joesley nas negociações com políticos do governo ou da oposição, delatou pagamento de R$ 80 milhões ao presidente licenciado do PSDB.

Temer: R$ 15 milhões recebidos e guardou R$ 1 milhão para si.

O diretor de Relações Institucionais do Grupo JBS, Ricardo Saud, revelou aos procuradores do Ministério Público a forma como o presidente Michel Temer recebeu a propina do grupo. Temer teria recebido R$ 15 milhões do dinheiro destinado ao Partido dos Trabalhadores (PT) para a campanha à vice-presidência em 2014. Saud delatou que na ocasião Temer decidiu “guardar” R$ 1 milhão. Estas delações ainda vão ser apuradas e examinadas com os altos do processo. Mas de qualquer forma estamos conhecendo bem como funciona visceralmente a operação da política brasileira.

Conclusão:

O pensamento Conservador

O pensamento conservador deseja preservar nossas instituições longe das ideologias e interesses dos partidos. E é por isso que o conservadorismo é tão repudiado, rejeitado, atacado. Mas segue firme a frase de Hannah Arendt: “O conservadorismo, no sentido da conservação, faz parte da essência da atividade educacional, cuja tarefa é sempre abrigar e proteger alguma coisa”. Como cristãos queremos que nossa nação zele por suas leis e que a justiça puna os culpados sem quem for.

A essência do esquerdismo

O socialismo trabalha com a ignorância, com a deficiência dos que são desprovidos do conhecimento. Em seu livro ”Ponerologia: Psicopatas no Poder”, Dr. Andrew Lobaczewski afirma:”o discurso do esquerdismo é cem por cento baseado na exploração da ”compaixão” e da culpa”. Apresenta uma defesa pelas minorias, excluídos e pobres, e sempre de forma abstrata coloca a culpa nas elites, no governo, no capitalismo ou no imperialismo Americano. Nunca, jamais assumem seus erros. Uma característica da psicopatia.

O drama do Brasil

O país está em colapso. Nenhuma instituição é confiável. Até o STF e o TSE que deveriam zelar pela justiça se tornaram prostíbulos de políticas e decisões sombrias. Quando o Brasil estava retomando os trilhos ai chegaram novas bombas que geraram ainda mais a desconfiança do povo pela política, STF e recentemente o papelão do TSE.

O Brasil está sofrendo e cabe ao povo de Deus orar com clamor e choro pela nação tão sofrida pela política cleptocrática que se instalou na pátria amada! O país está instável, o povo não aguenta mais. Mas como bem disse o Pastor Tiago Santos: ‘’Deus não abandonou o Brasil, acredito que Deus esteja visitando o Brasil’’. Que o Senhor tenha misericórdia de nós e faça sua justiça!

Heuring Felix Motta

Referências Bibliográficas

1- A mente Esquerdista – Dr. Lyle H.Rosster – Vide Editorial
2- Ponerologia : Psicopatas no Poder – Andrew Lobaczewski – Vide Editorial
3- Mentes Perigosas – Ana Beatriz Silva – Fontanar

Fontes:

http://www.infoescola.com/formas-de-governo/cleptocracia-2/
http://economia.estadao.com.br/…/geral,bolsa-empresario-che…
https://www.procob.com/porque-o-bolsa-empresario-custa-mai…/
http://www.jornalopcao.com.br/…/governo-de-dilma-emprestou…/
http://epoca.globo.com/…/principais-noticias-eleitorais-do-…
http://www.em.com.br/…/jbs-centenas-de-milh-es-em-propina-e…
http://agenciabrasil.ebc.com.br/…/divida-publica-podera-enc…
http://www2.uol.com.br/vivermente/artigos/o_que_e_um_psicopata_.html

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook