Presidente da República afirma ser contrário à liberação do aborto

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Há vários anos partidos de esquerda, principalmente o PSOL, com apoio de instituições como Instituto Anis, vem lutando para aprovar a liberação do aborto no Brasil. Em Brasília, parlamentares contra e a favor vêm se “digladiando” na luta por seus interesses. Neste domingo, no entanto, a ala pró-vida conquistou um grande aliado. O presidente da República, Michel Temer.

Ao ser convidado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a se manifestar sobre o tema, Michel Temer elaborou um documento, no qual defende que ”a vida do nascituro deve prevalecer sobre os desejos das gestantes”, conforme fora publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Em novembro de 2016, o mesmo STF decidiu de que o aborto até o terceiro mês de gravidez não é crime, conforme publicado pela jornalista Cristiane Segatto, na Revista Época, o que incomodou parte dos parlamentares com assento no Congresso Nacional.

Desta vez, a presidência da República foi ouvida sobre o assunto por determinação da Advocacia da União, ministra Rosa Weber, relatora no STF de uma ação que trata da legalização do aborto, de autoria do PSOL e do Instituto Anis.

Para o governo, a legislação atual, que proíbe a prática com poucas exceções, é adequada. Ao abordar as ”trágicas estatísticas” que envolvem as mulheres que abortam clandestinamente, o governo afirma:

— Não são o Estado nem as leis que constrangem as mulheres às práticas abortivas clandestinas e arriscadas – disse.

O governo afirma na mesma nota que cabe ao Congresso alterar a atual lei sobre o aborto, mas destaca que “os representantes políticos da sociedade brasileira têm optado pela proteção dos interesses dos nascituros”.

Por: Gomes Silva
Redação: Consciência Cristã News
Fontes: Zero Hora, Estado de S. Paulo
Foto: Google Imagens

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook