Pode o Homem Viver Sem Deus?

0
267

Rev. Hernandes Dias Lopes

Em Atos dos Apóstolos, capítulo 17, a partir do verso 16, vamos encontrar o discurso de Paulo quando se encontra em Atenas.

Maior bandeirante do cristianismo, o grande “Paladino da Fé”, o apóstolo Paulo acabava de chegar a Atenas, a “Capital Mundial da Cultura”, o santuário do saber, a cidade das artes e da filosofia, dos grandes luminares, que encheram bibliotecas com a sua erudição; a cidade de Péricles, de Sócrates, de Platão e de Aristóteles. A cidade que era o berço da cultura mundial do seu tempo, para espanto nosso, bafejada e aspergida pela cultura e pelas artes, pela filosofia e pelo conhecimento, estava imersa numa profunda cegueira espiritual. Ela estava dominada por obscurantismo espiritual absolutamente profundo.

Diz a Bíblia que Paulo percorrendo as ruas da cidade, pregando na Sinagoga e discutindo nas praças, percebeu que aquele povo estava dominado pela idolatria; que havia muitos deuses em Atenas. Xenofonte (que foi um soldado, mercenário e discípulo de Sócrates) chegou a dizer que havia cerca de 30.000 estátuas dedicadas aos deuses em Atenas; Plínio chegou a afirmar que para cada pórtico, para cada edifício havia um deus; Diógenes disse que era mais fácil encontrar um deus em Atenas do que um homem. Certa vez ele saiu ao pleno meio-dia, sol a pino, com a lanterna acesa em suas mãos pelas ruas de Atenas, e as pessoas não entendendo o que ele queria com aquele gesto perguntaram:

– O que você procura Diógenes? – e ele respondeu: Eu procuro um homem, por que nesta terra só se ver deuses!

Foi nessa terra de tantos deuses, que Paulo se dirigiu àquele povo para dizer: Vocês são acentuadamente religiosos, mas é um ponto aqui, no meio de tanta religião, não tinha o Deus verdadeiro. O que falta ao Brasil, à Paraíba e a Campina Grande, certamente não é mais religião. Estamos fartos de religião. O que precisamos é do conhecimento do verdadeiro Deus; do Evangelho do Senhor Jesus Cristo; o que precisamos é de um conhecimento pessoal daquele que morreu na cruz e ressuscitou dentre os mortos, que é a única esperança para a humanidade. O que precisamos é de Jesus Cristo.

Relata a Bíblia que Paulo começou a discutir com os filósofos, e quem eram esses filósofos? O texto nos fala que lá estavam os epicureus; quem eram os epicureus? Os epicureus eram aqueles homens que pregavam e acreditavam que o sentido e o propósito da vida é o prazer, que a vida é só o aqui e o agora. Os epicureus não acreditavam na vida depois da morte, nem no céu e muito menos no inferno. Os epicureus não acreditavam no juízo final. Viviam apenas para testar os deleites da carne e para desfrutarem de todas as taças e prazeres. Eles eram hedonistas.

Olhe para a sociedade brasileira, assista aos programas de televisão (da televisão brasileira), olha o que rola no mundo artístico neste País, e vocês hão de perceber que a filosofia dos epicureus está presente em nossa sociedade. Vivemos numa sociedade bêbada e embriagada pelo prazer, que não pensa no encontro com Deus, não pensa no destino de sua alma, não pensa que um dia terá que prestar contas a Deus; vive pelo aqui, vive pelo agora.

A filosofia epicurista é sintetizada pelo Apostolo Paulo na carta aos Coríntios, quando ele afirma que os epicureus diziam “comamos e bebamos porque amanhã morreremos”, não tem preocupação com o amanhã; talvez você que esteja aqui pense assim, a vida passa, os anos correm, e você tem que aproveitar a vida. Talvez você esteja como Salomão, que no seu tempo de afastamento de Deus procurou a felicidade na bebida, no fundo de uma garrafa, procurou a felicidade no dinheiro, a felicidade no sexo e a felicidade no poder.

Nós estamos vendo a população brasileira correndo à procura da satisfação desses desejos, mas a felicidade não está aí. A felicidade não está na bandeira dos epicureus, e Paulo confronta esses filósofos, com quem mais fala e discute em Atenas. Ele discute com os estóicos, quem eram os estóicos? Os estóicos pregavam que a vida está carimbada e marcada pelo destino cego e implacável; nós estamos condenados a vivermos debaixo do rolo compressor do destino, não há como mudar, não há como receber qualquer transformação na rota da vida. Os estóicos pregavam o que hoje “Gabriela Cravo e Canela” continua pregando: “Eu nasci assim, eu vivi assim, vou morrer assim”, mas eu quero anunciar para vocês, que a filosofia do estoicismo está errada. É possível mudar? Sim! É possível sair do poço e da escravidão do pecado? Sim! É possível ser liberto? Sim! É possível descobrir uma nova vida em Jesus Cristo? Sim! Jesus Cristo se manifestou para libertar, perdoar, transformar e para fazer novas todas as coisas. Ele pode mudar sua vida, ele pode transformar a sua história.

Há alguns anos, eu estava numa emissora de televisão para uma entrevista, e ao meu lado estava um indivíduo bem trajado, simpático, com gestos de uma pessoa bem educada, e eu não sabia quem era aquele senhor, ao meu lado, que também aguardava para ser entrevistado. Para minha surpresa aquele homem foi um dos cidadãos mais temidos nesse país. Todos vocês, certamente, lembram-se daquele fatídico crime acontecido no dia 31 de outubro de 1989, numa agência do Banco Itaú em São Bernardo do Campo, quando sete assaltantes entraram naquela agência e uma criança começou a chorar no colo da sua mãe. Então, um daqueles assaltantes dirigiu-se àquela mãe e disse: Faça calar essa criança, senão eu a mato. A criança, mais perturbada ainda, não conseguiu calar a sua voz, e aquele assaltante, friamente, covardemente, impiedosamente matou aquela criança e a sua mãe naquela agência bancária.

Naquele mesmo dia (do crime), a polícia matou cinco daqueles sete criminosos, mas aquele que tinha assassinado a criança escapou. Tratava-se de “Paulinho Bang-Bang”, um moço de classe média da cidade de Piracicaba, que, brigado com o pai, saiu de casa, mergulhou nas drogas e no crime. Para espanto da nação brasileira, o pai daquela menina assassinada, que também ficou viúvo, era um crente no Senhor Jesus Cristo; e ele disse no Jornal Nacional, para o Brasil inteiro ouvir: Aquele homem matou minha mulher e minha filha barbaramente, porque não conhecia o Deus que eu conheço; eu o perdôo porque ele não conhecia o meu Jesus”. E não apenas o perdoou, mas enviou à cadeia um missionário e evangelista, para levar uma Bíblia e falar-lhe do amor de Deus, e quando aquele evangelista foi à prisão, “Paulinho Bang-Bang”, monstro, que, em vez de acolher a palavra, pegou um punhal, feito por ele na prisão, objetivando enterrá-lo no peito do evangelista. Quando ele ergueu a mão para sacrificar aquele que trazia a boa notícia do Evangelho foi quebrado pelo poder de Deus, perdeu a articulação do braço e do corpo e ali mesmo caiu sem nenhuma força para prosseguir com seu intento. Quando ele se levantou, era uma nova criatura. À semelhança de Saulo de Tarso era um homem convertido. Aquele homem que estava perto de mim era “Paulinho Bang-Bang”, agora um pastor evangélico, transformado pelo poder de Deus.

Quero dizer para você, que Jesus ainda continua libertando os cativos. Ele permanece transformando vidas e por isso a filosofia estóica está equivocada. É possível mudar, sim, quando Deus opera no coração do homem.

A Bíblia afirma, então, que Paulo começa andar por Atenas e de repente descobre um fato: É que aquelas pessoas tão cultas, mas tão cegas espiritualmente, acreditavam que os deuses eram vingativos (At 16:6) e tinham que levantar um altar para cada deus conhecido, e, como eles temiam que algum deus fosse esquecido, levantaram em Atenas um altar ao deus desconhecido, pensando assim: Se essa divindade for esquecida ela não vai nos punir, porque aqui está um altar ao Deus desconhecido. Paulo pega, então, esse gancho e começa a falar para os atenienses sobre o deus desconhecido, e é sobre esse mesmo deus desconhecido que eu quero falar para vocês quem é esse Deus.

Em primeiro lugar, esse Deus é o Deus criador dos céus e da terra; olha comigo o verso 24, “o Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe”. Preste atenção aqui. O evangelho de Jesus Cristo começa com esta verdade: No princípio criou Deus os céus e a terra, qualquer pessoa que negar essa verdade primária não pode ser um cristão; a idéia de que o mundo é produto de uma explosão cósmica ou de um processo evolutivo de bilhões e bilhões de anos é uma teoria equivocada. Precisaríamos ter muito mais fé pra crer na evolução, do que crer que Deus criou todas as coisas; é mais fácil você acreditar que pegando um milhão de letras e jogando no ar, elas caíssem na forma do dicionário de Aurélio do que acreditar que uma explosão deu fruto a este Cosmos com leis e com ordem.

Deus criou do nada todas as coisas conforme a sua palavra. E a palavra, ainda nos mostra algo maravilhoso: Deus criou você à Sua imagem e a Sua semelhança. Dr. Marshall Niremberg, Prêmio Nobel de biologia, fez uma das descobertas mais lindas da ciência do século passado. Ele descobriu que o ser humano adulto tem 60 trilhões de células vivas, e, em cada uma dessas células há um 1,70m de fita DNA, onde são gravados e computadorizados todos seus dados genéticos, a cor dos seus olhos, a cor da sua pele, etc. Se você pegar a fita DNA do seu corpo e “espichá-la”, você terá 102 trilhões de metros de fita DNA, você tem 102 bilhões de quilômetros de vida DNA. Daria para dar diversas voltas no sistema planetário. Dr. Lowen, chegou a dizer que você poderia empacotar na cabeça de um alfinete todos os dados genéticos de todos os mais de 6 bilhões de habitantes do planeta; códigos de vida não se originam do nada e do acaso, foi preciso uma mente inteligência sábia e onipotente para criar essas coisas. A vida não é produto do acaso; a vida é feita pela mão onipotente do Deus Todo-Poderoso.

No primeiro século, o imperador Trajano perguntou ao rabino Josué:

– Rabino, o senhor crê em Deus? Sim eu Creio! – Respondeu o rabino. Então eu gostaria que o senhor me apresentasse o seu Deus porque eu não o conheço.

– O rabino Josué falou: Eu apresentarei ao senhor o meu Deus. Então marcaram um dia, ambos saíram para os jardins do palácio, sol a pino, e o rabino disse para o imperador Trajano:

– Antes de apresentar ao senhor o meu Deus, eu preciso lhe oferecer o embaixador do meu Deus. Então, quero que o senhor olhe para o sol, mire o sol. O imperador disse: Mas, eu não posso mirar o sol sem prejudicar minha visão! O rabino falou: Se o senhor não pode ver um dos embaixadores do meu Deus, uma das obras do meu Deus, pensas poder ver o meu Deus em toda a sua glória e em todo o seu fulgor?

Quando a embaixada da revolução francesa enviou seus emissários para a França, para fechar templos, queimar bíblias e para impor uma embaixada teísta, um emissário da revolução chegou a uma cidade interiorana e disse para um campesino cristão:

– Eu vim aqui pra fechar o templo da sua igreja, para queimar a sua Bíblia e banir da sua mente essa tola idéia de Deus. – E aquele camponês respondeu bravamente:
– O senhor pode queimar o templo da minha igreja, pode queimar a minha Bíblia, mas antes do senhor banir da minha mente a idéia de Deus, o senhor vai ter que, primeiro, apagar as estrelas do céu, porque enquanto elas brilharem eu saberei que Deus existe e que Ele é o criador de todas as coisas – Louvado seja o Seu nome.
O Deus a quem servimos é o criador dos céus e da terra, essa é a primeira verdade que Paulo anuncia na capital da cultura, a cidade de Atenas.

Em 1859, Charles Darwin publicava o seu livro “A Origem das Espécies”, em Londres, e já no primeiro dia do lançamento, aquela edição se esgotava (é importante dizer que isso é apenas uma teoria, prova disso é que o livro “A Origem das Espécies” tem nada menos que 800 verbos no futuro do subjuntivo, suponhamos, suponhamos…). Eu não vim a este lugar para pregar uma suposição. Eu vim anunciar uma verdade absoluta, a verdade de que Deus existe e Ele é o criador de todas as coisas.

A segunda verdade que Paulo prega sobre esse Deus “desconhecido” dos atenienses é o Deus da providência. Olhe comigo o verso 25, que diz: “Pois, Ele mesmo é quem dá vida, respiração e tudo mais”. No verso 28 diz: “pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos”. Você está aqui porque Deus existe. É Ele que lhe tem dado vida, preservado a saúde e quem dá o fôlego da vida; é Ele quem envia o seu sol e a chuva para o ímpio e para o cristão, é Deus que lhe dá o pão de cada dia, é Deus quem lhe dá a benção de ter paladar e Deus tem colocado sabores, os mais diversos, nos frutos que estão na sua mesa; Deus tem cercado você de bondade, Ele protege você, Ele guarda você, Ele abençoa você, Ele cuida de você, Ele preserva sua vida; este Deus está presente nas obras da sua providência. Quantas vezes você saiu de casa e voltou para casa? Seu filho foi para escola e voltou da escola? Quantas vezes você atribuiu isso ao cuidado de Deus?

Certa feita, Blaise Pascal, filosofo Frances, chegou para seu pai e disse: Pai aconteceu um milagre comigo hoje! – Seu pai disse: É mesmo meu filho, o que aconteceu com você? – E ele respondeu – Papai, eu estava cavalgando e meu cavalo galopava a toda velocidade, de repente o meu cavalo tropeçou, caiu e nem ele nem eu nos machucamos, foi um milagre – O pai disse para ele: Filho, pois aconteceu um milagre maior comigo hoje, eu também estava cavalgando e meu cavalo galopava e galopava, e meu cavalo não tropeçou nem caiu meu filho.

Irmão, às vezes nós só vemos uma providencia de Deus quando passamos por um acidente grave e saímos ilesos; só vemos a providencia de Deus quando contraímos uma enfermidade mortal e por um milagre nós nos recuperamos. Mas quantas vezes deixamos de ver o cuidado e a providencia de Deus pelo o fato de estarmos todos os dias, indo para cama, nos levantando para trabalhar, indo para o trabalho, nossos filhos voltando da escola, sem nenhum acidentado, sem que nenhum fato extraordinário aconteça. O Deus a quem servimos, é aquele Deus em quem nos movemos existimos, Ele é o Deus da providencia, louvado seja o Seu nome!

Terceiro lugar, quem é esse Deus? O Deus desconhecido dos atenienses. Olha comigo no verso 18. É o Deus da salvação. Relata a Bíblia que Paulo pregava em Atenas à Jesus e a ressurreição; eu preciso dizer pra você algo extraordinário e maravilhoso nesta ocasião. É a respeito de o pecado ter entrado na nossa história e ter feito um estrago terrível. Há esperança para nós. A Bíblia diz “que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. A Bíblia afirma que não há justo nenhum sequer e que todos se extraviaram. A Palavra de Deus afirma que a alma que pecar, essa morrerá.

Meus irmãos, de acordo com Bíblia, ninguém pode chegar até Deus e nem ir para o céu por ser religioso, porque pratica boas obras, porque faz caridade, porque lê as Escrituras, porque ora, porque freqüenta igreja. Nenhum mérito humano é suficiente para o homem entrar no céu. Se você tivesse que ser salvo pelos seus méritos, por sua justiça, você teria que ser perfeito, porque somente gente perfeita entra no céu. Lá no céu não pode entrar imperfeição. A Bíblia diz assim: “Se você guardar toda a lei e tropeçar num único ponto, você é culpado pela lei inteira”. Mas não tem ninguém que consiga guardar a lei. Não que a lei seja má, a lei é boa, a lei é justa, a lei é espiritual, mas nós somos pecadores. O pecado está infiltrado em nós. Então, a Bíblia diz que nós pecamos por palavras, por obras, por omissão e por pensamentos.

Os psicólogos dizem que passam por nossa cabeça dez mil pensamentos por dia, quantos deles nós nos envergonhamos? Você imaginou se Deus projetasse nessa tela o que nós pensamos apenas nesta semana? Cairíamos todos nós com o rosto em terra de vergonha! Sabe por que Paulo escrevendo aos romanos diz que o pecado é tão maligno? Sabe por que Paulo, que era considerado um homem zeloso e irrepreensível segundo a lei, entendeu o quão pecador ele era? É porque ele parou no 10º mandamento do decálogo. E qual a diferença do 10º mandamento para os outros? É que o 10º mandamento é o único mandamento subjetivo, “não cobiçarás” é algo interno, é foro íntimo, nenhum tribunal da terra, por mais ínclito que seja, pode julgar foro íntimo. Mas o tribunal de Deus julga.

A Bíblia diz que Deus vai julgar o segredo do coração dos homens. Por isso todos os homens são indesculpáveis e inescapáveis. O homem não pode salvar-se a si mesmo, o homem não pode entrar no céu pelos seus próprios esforços, mas o que o homem não pode fazer, Deus fez por ele! E Deus mandou o Seu Filho, o Seu único Filho Jesus Cristo, que veio ao mundo como nosso representante, como nosso fiador. Diz a Bíblia que quando Ele foi a cruz, Deus fez cair sobre Ele a iniqüidade de todos nós. Ele foi feito pecado por nós; Ele foi feito maldição por nós e não havia beleza nEle; diz a Escritura, que quando Ele está no topo daquela cruz, ele dá um grande brado, “Tetelestai”, “Está Consumado” e essa frase significa: Está Pago! Diz a Bíblia que Ele pegou o escrito de dívidas que era contra nós, o rasgou e o encravou na cruz e agora a Bíblia fala que não há nenhuma condenação para aquele que está em Cristo Jesus, Nosso Senhor. Aleluia!

Jesus é o salvador, Ele pagou a sua dívida, Ele morreu em seu lugar, Ele bebeu o cálice da ira de Deus, que deveria ser derramado sobre sua cabeça, Ele morreu a sua morte, Ele sofreu a penalidade do seu pecado de tal maneira que se você crer nEle e confiar nEle tem a vida eterna. Esta é a grande mensagem que nós precisamos, é a mensagem de que houve um substituto e que esse substituto era o próprio filho de Deus e que Deus não o poupou e o entregou por todos nós, para que nós pudéssemos ter vida e vida eterna.

Em quarto lugar, quem é esse Deus? Preste atenção no que está escrito no verso 24: “Sendo Ele Senhor do céu e da terra”, o Deus desconhecido dos atenienses é o Senhor. Deixe-me dizer algo muito importante. Há um ensino muito comum e muito popular no meio evangélico, que precisa ser corrigido. É a idéia de que alguém pode receber a Jesus Cristo como salvador, sem recebê-lo como Senhor! É a idéia que existem dois tipos de crentes salvos, o crente carnal e o crente espiritual.

O Novo Testamento chama Jesus de O Salvador vinte e duas vezes, o NT chama Jesus de Senhor seiscentos e cinqüenta vezes; a grande ênfase do Novo Testamento é crer no Senhor Jesus. E a não ser que ele seja o Senhor da sua vida, você – crente carnal ou espiritual -, ainda não está salvo. Se não entregou por completo o seu caminho, a sua vida, o seu coração a ele, ainda não entrou salvação em você. Ele é o Senhor e a Bíblia diz que diante dEle, deve se dobrar todo joelho no céu, na terra e debaixo da terra e toda língua confessará que Ele é o Senhor, para a glória de Deus Pai.

Os imperadores, os reis, os soberanos, os homens de poder, os homens cultos, os filósofos, os ateus, os religiosos, os místicos, todos vão ter que se prostrar e confessar que Jesus Cristo é o Senhor. Mas preste atenção em um fato: Muitos vão confessar Jesus como Senhor obrigatoriamente, porém aqueles que fizerem forçadamente não significa que estejam salvos. Você pode, hoje, curvar-se diante de Jesus, confessá-lo como Senhor da sua vida; eu quero dizer para você que confessar Jesus como Senhor não é perder a liberdade. Agostinho de Hipona disse claramente: “Quanto mais escravo de Cristo eu sou, mais livre eu me sinto”. É quando Jesus é o Senhor da sua vida que você é livre. Agora, enquanto você for o dono da sua vida, você é um escravo de si próprio; escravo do pecado, mas se o Filho de Deus libertar você, você vai ser livre, vai ser feliz, vai ter uma vida em “maiúsculo”, você vai ter uma vida abundante, você vai ter a vida eterna. O Deus desconhecido dos atenienses é o Deus que exige de você arrependimento, porque um dia Ele vai julgar você, como afirmam os versículos 30 e 31. Talvez você possa me dizer: “Mas eu não sou tão mal assim para ter que me arrepender; eu não me lembro de nada errado que eu tenha feito”. Eu quero lhe dizer uma coisa, você não precisa se arrepender do que você faz, você precisa se arrepender de quem você é! Você é pecador, por melhor que você seja, por mais benemérito, por mais espiritual, por mais religioso, por mais sincero que possas ser; se você não reconhecer que é pecador, não há a mínima possibilidade de você ter um salvador. E a Bíblia diz que Deus exige isso, de todos e em todo lugar, que se arrependam; talvez um dos dramas da igreja evangélica brasileira é que nós estamos chamando as pessoas a crerem sem levar essas pessoas, primeiro, ao arrependimento; as pessoas estão numa linguagem do pastor que orou por mim aqui, estão aderindo ao cristianismo em vez de se converterem a Jesus Cristo.

Irmãos permitam-me dizer isso: O que está explodindo em crescimento na pátria brasileira não é o cristianismo, nem é o evangelho; é um “outro evangelho”, é um evangelho que não exige arrependimento, que não produz transformação, é um “semi-evangelho”, um evangelho híbrido, sincrético e místico, mas o evangelho de Jesus Cristo não tem a intenção de agradar a homens, não tem a intenção de fazer uma caiação e uma reforma nos homens, é preciso que esse cidadão se arrependa e se converta para ser salvo.

Eu não sei quem é você, eu não sei de onde você vem, eu não sei como você está, mas eu posso lhe garantir em nome de Jesus, que você precisa se arrepender e sabe por quê? Porque o Dia do Juízo já está marcado e você vai ter que comparecer diante de Deus. E a Bíblia diz que naquele dia os livros serão abertos e você será julgado segundo o que estiver escrito nos livros e aquele vai ser um grande e terrível dia para muita gente, sobretudo para aqueles que não pararam para pensar no destino da sua alma, para aqueles que zombaram da fé, para aqueles que taparam os ouvidos à voz de Deus, para aqueles que escarneceram daqueles que um dia se ergueram em nome de Cristo para anunciar o evangelho. Naquele dia, os homens vão querer morrer, mas a morte fugirá deles, e naquele dia eles vão ter que ouvir as sentenças, porque tudo que o homem fez, deixou de fazer e falou, está registrado nos livros e esses livros serão abertos, e os homens serão julgados segundo as suas obras.

Mas deixa eu lhe dizer uma coisa. Pelas obras ninguém pode ser salvo, ninguém! Então diz a Bíblia que outro livro será aberto, o livro da vida, e se alguém não foi encontrado no livro da vida, esse tal será lançado no lago de fogo que é o inferno. Essa não é uma doutrina popular, ela não arranca dos nossos auditórios aplausos, mas deveria arrancar lágrimas, porque este é um fato absoluto. Hoje ou amanhã – eu não sei quanto tempo -, se mais uma hora, se mais um dia, se mais 10 anos, mas o certo é que um dia você vai ter que comparecer diante de Deus para prestar contas da sua vida. Se o seu nome não estiver escrito no livro da vida não há esperança para você, e como você pode ter seu nome escrito no livro da vida? A única maneira é se você crer no Filho de Deus, se você receber Jesus Cristo como seu Salvador, se você entregar sua vida para Ele, se você depositar toda a sua confiança no Filho de Deus e no Seu sacrifício feito na cruz do Calvário em seu favor, em seu lugar.

Quando Paulo termina esse discurso na capital da cultura e da filosofia, diz a Bíblia que o seu auditório se dividiu em três grupos. Primeiro grupo: Diz o verso 32, que escarneceram dele, “que bobagem, que tolice, que coisa absurda”. Talvez você esteja também criticando a mensagem, esse movimento e dizendo “isso não tem nada a ver, isso é uma bobagem, isso é uma coisa absolutamente ensandecida”. Se reagir assim, você não é diferente dos intelectuais atenienses. Há muitos que escarnecem, há muitos que zombam. Mas aqui diz o texto, no verso trinta e dois ainda, que outros disseram: “A respeito disso te ouviremos noutra ocasião”. Adiaram a decisão, pensaram assim: “Bom, não precisamos tomar essa decisão hoje, tem tempo ainda, eu preciso viver um pouco mais, eu preciso curtir um pouco mais a vida”. Talvez seja esse o seu pensamento, talvez você pense assim: “Bom, eu tenho que acertar minha vida com Deus, mas eu tenho umas pendências ainda, preciso largar meu cigarro, minha bebida; preciso largar a vida desregrada, que estou vivendo, depois que eu corrigir tudo, depois que eu acertar tudo, depois que minha vida estiver legal, aí vou pensar em me encontrar com Cristo e entregar minha vida pra Ele”. Deixa eu te dizer uma coisa. Não há perigo maior para sua alma do que você adiar a coisa mais importante da sua vida, que é ter um encontro com Cristo. Não deixe para amanhã, porque ele pode não existir pra você.

Há uma lenda que diz que houve uma assembléia no inferno e os demônios estavam preocupados, porque pessoas estavam sendo libertas e saindo das suas garras, e então, aquela assembléia aconteceu para criarem um plano, um projeto para impedir as pessoas de crerem em Jesus. Um demônio se levantou e disse:

– Eu tenho uma solução, vamos dizer que a Bíblia é uma mentira, uma bobagem, que papel aceita tudo e esse livro já tem mais de dois mil anos e não merece mais crédito no século da ciência. Então levantou um demônio mais experiente e disse:

– Essa não vai colar, porque esse livro tem enfrentado as fogueiras, a intolerância, os críticos, e este livro é uma bigorna que tem quebrado todos os martelos dos céticos.

Então, levantou-se outro demônio e disse:

– Bom, então vamos dizer que o homem é bom, que ele não precisa de Deus, que ele pode chegar até ao céu pelos seus esforços, pelos seus méritos.

Então outro demônio, ainda mais experiente, pediu a palavra e disse:

– Isso não vai funcionar porque quando o homem reconhece que é pecador e põe sua confiança no Filho de Deus, ele vai ser salvo, não tem jeito. E muitas outras propostas foram sendo levantadas. Nenhuma satisfez até que o maioral do inferno se levantou e disse:

– Eu tenho uma solução. Vamos dizer para o homem que a Bíblia é verdade, vamos dizer para o homem que ele é pecador, vamos dizer para o homem que só Jesus Cristo salva, mas vamos falar um pouco mais. Vamos levar o homem a tomar essa decisão mais tarde, agora não, agora é cedo, depois quem sabe…

Este é o perigo fatal, porque seu amanhã pode não existir. E a Bíblia diz: “Se hoje ouvirdes a minha voz, não endureçais o vosso coração”. Hoje é o dia, agora é o tempo, não amanhã. O amanhã pode não existir.

Quem pode garantir que aqueles passageiros, que saíram de Manaus, naquele vôo da Gol indo para Brasília, podiam imaginar que a vida deles estava por alguns minutos apenas. Quem poderia imaginar isso? Quem de nós pode saber se vamos viver mais um dia? Hoje é o dia de você acertar a sua vida com Deus, mas louvado seja o Senhor, a última reação está no verso trinta e quatro. Alguns homens que se agregaram a ele creram, e eu estou convicto de que você vai crer no Senhor Jesus, eu estou seguro de que alguém, aqui, vai se reconciliar com Deus, eu estou seguro de que haverá festa no céu, mais do que festa em Campina Grande. Eu estou seguro de que a festa que haverá entre os anjos e Deus no céu é a festa mais linda, mais pomposa e mais pura do que a festa que celebramos nessa noite. A Bíblia diz que há festa diante de Deus por um pecador que se arrepende. E eu quero convocar você a entregar sua vida para Jesus, a crer e a confiar no Filho de Deus, a agarrar-se a Ele; não basta você ser filho de crente, não basta você ser amigo do evangelho, não basta você ler uma Bíblia, não basta você freqüentar uma igreja, não basta você fugir de determinados pecados e vícios. É preciso que você nasça de novo, é preciso que você se converta, é preciso que você receba Jesus Cristo como salvador e Senhor da sua vida.

Eu quero terminar contando um fato interessante. No dia 30 de junho de 1958, o maior equilibrista do mundo Charles Blondin anunciava um espetáculo singular para os seus admiradores. Ele esticou um cabo de aço em cima das cataratas do Niágara, entre os EUA e o Canadá, e diante de uma multidão eletrizada e expectante, ele passaria num cabo de aço por sobre a tormenta. Lá em baixo, as pedras pontiagudas eram sovadas com fúria pelas águas que caiam, certamente caindo ali enfrentaria a morte. Os trens lotados iam de Nova Iorque, de Toronto e das cidades vizinhas. E então ele esticou o cabo de aço e para surpresa, encantamento e espanto da multidão, ele subiu no cabo de aço, calma e sobranceiramente, ele foi andando, foi caminhando, a multidão não conseguia nem respirar, e ele caminhou e caminhou e chegou ao outro lado. A multidão o aplaudiu ruidosamente. Então Charles Blondim dirigiu-se à multidão e disse:

– Pois, não somente eu sou capaz de atravessar esse cabo de aço, mas eu vou levar alguém comigo. Chamou seu empresário Henry Colcord, e disse “vem comigo”. Colcord confiava nele, subiu no cabo de aço, a multidão não podia acreditar no que estava vendo, quando estavam no meio do grande abismo, um espertalhão foi lá e cortou uma das cordas que sustentavam o cabo de aço. A multidão desesperada pensou que um acidente inevitável aconteceria. Aí Colcord disse – nós vamos perecer – mas Charles Blondim disse pra ele – Colcord, a partir de agora, você e eu somos um só, agarre-se a mim, o que eu fizer você faça também, e Colcord agarrou a Charles Blondim e eles começaram a caminhar, a corda balançando e eles começaram a prosseguir, prosseguir, prosseguir até que chegaram a salvos do outro lado; a multidão aplaudiu vigorosamente, ruidosamente, demoradamente aquela grande façanha. Eu quero lhe dizer uma coisa, que entre a terra e o céu há um grande abismo, há um inferno com sua bocarra aberta querendo tragar e devorar você. Se você cair nesse abismo, perecerá eternamente. Porém, há alguém, só um alguém, que pode apanhar você, agarrar-se com você e levar você salvo e seguro para o céu e esse alguém é Jesus Cristo, o Filho de Deus. Se você entregar sua vida para Ele, atravessarás e chegarás salvo e seguro no céu, para viver com Ele eternamente; morar com Ele, reinar com Ele para todo o sempre, para a glória Dele. O que você vai fazer? Que decisão você vai tomar? Você vai zombar? Você vai deixar para depois? Ou você vai entregar sua vida para Jesus? Qual a sua escolha? Qual a sua decisão?

Sermão proferido pelo pastor Hernandes Dias Lopes no Encontro Para a Consciência Cristã, que acontece todos os anos no período do carnaval em Campina Grande-PB.

Foto: Arquivo VINACC.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook