Onde o cristianismo não é maioria, as mulheres são tratadas pior que os animais

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Você é daqueles que considera o cristianismo uma religião machista e opressora? Nós desconstruiremos este mito em 11 imagens.

O cristianismo é constantemente acusado de ser uma religião machista, patriarcal e até misógina pelos inimigos da fé.

Assine o Blesss

Acontece que estas pessoas que fazem tais acusações, jamais estudaram a bíblia de forma séria e sistemática. Se o fizessem, logo constatariam que foi o sucesso do cristianismo no ocidente que trouxe dignidade às mulheres.

Neste breve artigo, apresentaremos alguns países em que as mulheres não significam nada, já que não têm direitos e, para piorar, são diariamente expostas à violência.

A maioria deles são países de maioria muçulmana.

Conheça os 11 países que menos respeitam as mulheres. Lembre-se deles quando for orar também.

1. Afeganistão

A expectativa média de vida para as mulheres afegãs é baixa: aproximadamente 45 anos. Milhões de viúvas mendigam para sobreviver já que a pobreza, os conflitos armados, o casamento precoce e a violência por parte de seus maridos e famílias são muito comuns.  Neste país existe uma das mais altas taxas de mortalidade durante o parto do mundo, o que contradiz com o fato do Afeganistão ter sido um país laico há pouco tempo.

2. República Democrática do Congo

“Democrática” é uma palavra forte: as mulheres aqui não podem assinar qualquer documento legal sem a permissão de seus maridos, mas possuem deveres de sobra. Por causa das constantes guerras, as mulheres congolesas facilmente podem ser encontradas abandonadas, sem maridos e com filhos, não recebendo nenhuma ajuda para se manterem.

3. Nepal

Neste país, as mulheres têm de se envolver em unidades partidárias para se protegerem e também protegerem suas casas. Existem casamentos precoces e no parto muitas mães jovens morrem. Além disso, os pais muitas vezes vendem suas filhas até atingirem a idade adulta.

4. Mali

Este pobre país é famoso por seus ritos sangrentos: as meninas são submetidas à mutilação genital através de um procedimento doloroso. As mulheres locais se casam cedo, e muitas delas também morrem durante o parto.

5. Paquistão

Neste país, as mulheres têm vidas muito difíceis por causa dos costumes que são verdadeiramente perigosos para elas. Meninas paquistanesas podem facilmente serem punidas por algo que seja do desagrado do noivo, inclusive mortas ou apedrejadas por adultério. Provar sua inocência muitas vezes pode ser impossível e os assassinos podem ser o pai ou no próprio irmão.

6. Índia

Na Índia os meninos são valorizados, de forma que a menina é discriminada desde o nascimento: muitas não vivem até a adolescência. Na Índia muitas garotas são sequestradas para fins de prostituição, sendo grande parte delas ainda crianças.

7. Somália

Na Somália as meninas podem até morrer em trabalho de parto e é proibido ajudar qualquer uma delas. Além da fome e da seca que mata milhares de pessoas, as mulheres podem ser mortas e violentadas pelos próprios maridos.

8. Iraque

O país foi mergulhado em um sectarismo infinito: as meninas são raptadas ou violentadas e não há lei que as proteja. Em 2014,  cerca de 150 mulheres que se recusaram a prestar serviços sexuais aos soldados foram mortas.

9. Chad

Neste país, a vida de uma mulher é totalmente dependente do seu marido, a quem ela pertence e as meninas casam-se aos 11-12 anos. Aquelas que vivem no leste do país em campos de refugiados são submetidas a espancamentos e abusos constantes.

10. Iêmen

Aqui, as mulheres não podem obter educação. A razão é simples – “não há tempo”, já que devem cuidar de tudo para seus maridos. No Iêmen estão ainda tentando resolver este problema, mas até agora com pouco sucesso.

11. Arábia Saudita

Apesar de ser considerado que a “Arábia Saudita seja um país rico e promissor” para as mulheres, há muitas restrições. Este é o único lugar no mundo onde as mulheres não têm permissão para dirigir um carro.

As mulheres não podem sair de casa sem seus maridos ou parentes, como também não podem usar o transporte público e e sequer falar com outros homens, além de terem seus corpos totalmente cobertos até mesmo no verão.

Redação Consciência Cristã News
Com informações do site Universo Inteligente


Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

6 Comentários

  1. Claro, isso porque o cristianismo não é mais a religião que está na bíblia, vem mudando constantemente suas ideologias, por mais que possa ser indiretamente, o cristianismo vem se adaptando as pessoas reais.

  2. Com certeza, também vejo essa mudança, no livro de Gênesis expõe a submissão em que “Deus” condena as mulheres a serem governadas por seus maridos… Devido ter induzido ele a comer do fruto proibido! Além de codene- lá a sentir dores intensas durante o parto…..

    • Sabrina, você parece ter uma ideia muito errada da liderança masculina na bíblia.

      Se você olhar para o relato de Gênesis, verá que após a entrada do pecado no mundo, Deus vai ao Eden e responsabiliza Adão. Ele não pergunta: “Eva, onde estás?”, e sim “Adão, onde estás?”. Apesar de que Eva pecou primeiro e logo ofereceu o fruto a Adão, foi a ele que Deus responsabilizou pela entrada do pecado no mundo. Isso porque Adão como líder falhou em liderar sabiamente sua mulher, protegendo-a da influência do pecado.

      Se olharmos toda a narrativa acerca do pecado na Bíblia, leremos que somos considerados pecadores “Em Adão”, e não em Eva. Nos é dito que o pecado entrou no mundo “por um homem” e não por uma mulher. O homem é responsabilizado pela queda, e não a mulher, e arcou com as maiores e mais severas consequências.

      Sobre o papel da mulher no casamento, é realmente de submissão, mas isso não a diminui, antes, lhe confere privilégios. Isso porque ao marido corresponde o dever de amar, proteger, cuidar e prover. Ele é responsável por zelar pela felicidade, cuidado e bem-estar dessa mulher, assim como guiá-la espiritualmente. Ele possui responsabilidades maiores dentro da administração deste lar, e é responsabilizado por tudo que acontece em sua familia.

      Além disso, ao marido convém liderar a esposa como Cristo lidera sua igreja. Ou seja: Liderança motivada pelo amor e pela dignidade do líder. Nós nos submetemos a Cristo porque reconhecemos nele um líder amoroso e digno, capaz dos maiores sacrificios, até mesmo de morrer por sua igreja (noiva), como de fato o fez. Semelhantemente, Deus espera dos maridos um alto grau de sacrificio, abnegação, renúncia.

      O modelo de homem-líder na Escritura é diferente do modelo de homem líder no Islã. Enquanto o líder islâmico acha que tem direitos sobre a mulher e a maltrata, o homem-líder cristão entende que tem um dever sobre a mulher, e à protege de todo perigo, à ponto de estar disposto a dar a vida por ela, como Cristo morreu pela igreja.

      O feminismo é ignorante sobre teologia, ignorante sobre o cristianismo, e ignorante sobre o islamismo. E acredite: Dores de parto é muito pouco perto da disposição e dever de proteger sua familia com a própria vida, caso seja preciso.

      • Perfeito. Quando não conhecemos algo, o melhor a fazer é ter humildade e procurar aprender. A questão é que assuntos bíblicos e cristãos são amplamente ignorados pela esmagadora maioria, porém muitos, talvez quase todos dessa maioria, crêem que sabem muito e emitem muitos pareceres. A maioria não passaria em um teste simples sobre a Bíblia, não conseguria responder perguntas elementares sobre o assunto, mas acredita sabertura muito.

  3. Eh! Sabrina, você precisa ler a bíblia com mais atenção; necessita de alguém instruí-la para ter o devido entendimento da palavra de DEUS… Sabiamente; pense e não desista de aprender.

  4. Acredito no cristianismo como agente transformador ( Jesus tem esse poder). Também uma cultura de boa educação tem papel importante quanto a isso, veja o caso do Japão que não tem maioria cristã e nao entra nesta lista.
    É só uma constatação. Sou cristão protestante e Jesus é o Senhor… 🙏

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook