Governador Geraldo Alckmin veta homenagem ao pastor Enéas Tognini

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) decidiu, nesta quinta-feira (29), vetar a proposta de alterar o nome da estação de metrô Vila Mariana, da linha 1 (azul), localizada na zona sul da capital paulista, para fazer homenagem a um pastor evangélico, Enéas Tognini.

As razões para o veto serão publicadas no “Diário Oficial do Estado” nesta sexta-feira. O governador ressaltou que a proposta parlamentar contraria a Constituição Estadual e que “a definição da nomenclatura de estações e de pátios de manutenção do metrô seguem conceitos e critérios que consideram referências urbanas preexistentes e a opinião pública”.

O texto com o veto ressalta ainda que “a eventual alteração acarretaria em confusão aos usuários e custos ao Metrô, uma vez que seria necessária a substituição de toda a comunicação visual do sistema e da respectiva estação”.

O deputado estadual André Soares (DEM), que propôs a alteração (encaminhada à Assembleia Legislativa em 9 de dezembro), é filho do pastor neopentecostal Romildo Ribeiro Soares, conhecido na TV como missionário R.R. Soares, onde apresenta um programa.

O deputado justificou a tentativa de rebatizar a estação com o argumento de que Enéas Tognini, morto no ano passado, foi “um dos grandes líderes do avivamento espiritual, nos anos 1960, que originou a Convenção Batista Nacional” e que o pastor “tem especial relação com a região objeto da homenagem”.

A Igreja Batista do Povo, fundada por Tognini, fica na rua Domingos de Morais, uma das principais vias na Vila Mariana, perto da estação do metrô, que foi inaugurada há 43 anos.

Redação Consciência Cristã
Com informações do UOL Notícias
Imagem: UOL

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook