Brasileiro está cada vez mais conservador, revela Ibope

0
384

De acordo com José Roberto Toledo, do Estadão, o conservadorismo tem crescido em todo o mundo, trata­se de um fenômeno global. “Não foi apenas a eleição de Donald Trump que deflagrou o recente crescimento do conservadorismo no mundo. Pouco antes, o Brexit, na Inglaterra, já era evidência de que o mundo estava mudando, guinando­se à direita, e a Alemanha onde Angela Merkel reelegeu­se pela terceira vez, sem dúvida, configurou­se como o exemplo mais claro dessa transformação”, disse.

E continuou: “No Brasil, o conservadorismo sempre foi forte e a marca de uma população cujo congresso, ao se pronunciar sobre temas de qualquer sorte, insiste em enfatizar os valores da tradicional família brasileira, os deveres a Deus e o culto à propriedade. Tratando­se da democracia representativa brasileira, esses são os valores de grande parte da população.”

De fato, esta é uma realidade visível a olhos nus, tanto pelos resultados das últimas eleições em todo o mundo como pelo que se vê nas redes sociais. O Ibope, no entanto, foi às ruas e constatou que é exatamente isso:

Para analisar essa característica social, o Ibope fez cinco perguntas: 1) legalização do aborto, 2) casamento entre pessoas do mesmo sexo, 3) pena de morte, 4) prisão perpétua, 5) redução da maioridade penal. O questionário funciona como um Índice de Conservadorismo, que separa em termos sucintos os progressistas dos conservadores.

O conservador dos conservadores respondeu ser contra os itens 1 e 2, e a favor dos demais – na escala do Ibope, ele marcará 1 de conservadorismo. Já o liberal dos liberais é a favor dos dois primeiros itens, e contra o resto: seu índice é zero. Entre um e outro, o Ibope dividiu os brasileiros em três faixas, conforme a quantidade de respostas conservadoras.

De acordo com a pesquisa, o grupo dos que atingiram alto grau de conservadorismo cresceu de 49% para 54% entre 2010 e 2016. As vitórias eleitorais da família Bolsonaro nas últimas eleições expõem de maneira muito clara: No Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro foi o vereador mais votado nas eleições de 2016. Em 2014, seu pai, Jair Bolsonaro, foi o deputado federal que mais teve votos.

Ainda de acordo com dados do indicativo, os conservadores aumentaram entre todas as faixas etárias e de renda, em ambos os sexos, em todas as religiões e em quase todas as regiões e níveis educacionais. O apoio à pena de morte pulou de 31% para 49% nos últimos seis anos. A favorabilidade à redução da maioridade penal – para permitir que adolescentes sejam julgados como adultos – cresceu de 63% para 78%. E a defesa da prisão perpétua para crimes hediondos aumentou de 66% para 78% desde 2010.

Redação Consciência Cristã News
Com informações do Jornal Livre e Portal Conservador

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook